Ser Lesado

Curiosidade e Informação sobre Lesão Medular

Um anjo chamado Sabrina

Posted by on maio 2, 2017

Faça como Sabrina, entre para o time que está ajudando na descoberta da cura da lesão medular espinhal, a próxima vítima pode ser qualquer um de nós. Participe da corrida beneficente Wings for Life World Run, da fundação de mesmo nome, que arrecada fundos para pesquisas para descobrir a cura para esta condição incapacitante.

A corrida é global, acontecerá simultaneamente em 34 cidades em 7 de maio, às 8h. Não há distância pré determinada nem linha de chegada, a corrida só termina quando o carro da organização ultrapassa o participante. No Brasil será em Brasília. “Este ano há uma novidade, é possível participar de qualquer lugar correndo com o aplicativo”, conta Sabrina Ferri, tetraplégica desde 2008.

 

Há nove anos, a gaúcha estava curtindo na Praia do Rosa (Imbituba-SC), feliz da vida brincando no balansurfer, espécie de balanço para surfistas, quando caiu. Ela desmaiou na hora e em um segundo a vida dela mudou radicalmente. Perdeu todos os movimentos do pescoço para baixo. “Muita gente confunde lesão medular com câncer de medula óssea, o câncer tem uma possibilidade de cura, a lesão não. A lesão é uma condição incapacitante quando há fratura de alguma vértebra”, explica.

Sabrina faz parte de um grupo de vítimas da lesão medular que pesquisa tudo sobre o assunto e difundem o tema. É o Cure Girls, formado por mais duas inglesas e três italianas. Elas mantêm um blog de mesmo nome, no qual divulgam tudo sobre a possibilidade de cura da lesão medular. “Sou muito realista, a cura ainda vai demorar bastante, talvez eu nem a veja, as pesquisas são caríssimas, mas ações como esta da Wings divulgam bem o assunto e cada vez mais gente poderá se interessar e ajudar. Participando de ações como esta quero que os filhos dos meus sobrinhos não passem por isso que estou passando agora”, destaca Sabrina.

A primeira edição da Wings for Life World Run foi realizada em 2014. Um ano antes, ela assistiu o primeiro vídeo  convidando todos para correr pela cura da lesão medular em um evento que aconteceria simultaneamente em 34 países. “Eu me encontrei ali, naquele momento, tipo amor à primeira vista, sabe? Aquela era a minha causa e eu tinha o dever de correr por mim e mais 3 milhões de pessoas que estão em uma cadeira de rodas”, conta.

Sabrina foi escoltada por 22 amigos em Florianópolis, primeira edição da prova. “Foi muito emocionante, tinha um menino com paralisia cerebral passou por mim com sua mãe e como corro com “asas”, o menino começou a me chamar de anjo!”, lembra.

Este ano, Sabrina vai participar pela terceira vez, vai com várias amigas cadeirantes, as meninas que fazem fisio com ela, amigas de São Paulo e amigos de Brasília, onde vários grupos de corrida de rua já se engajaram pela causa. “Muita gente me pergunta em como pode ajudar, essa é uma forma, quanto mais gente correr melhor”, observa.

Sabrina já está pensando na edição 2018. Quer “correr” a Wings junto com as outras meninas do CureGirls na Europa. Bem que algum patrocinador poderia levá-la. #redbulllevasabrinapramilão #corridaparatodos #wingsforlife #

Wings For Life World Run
Data/Horário: 7 de maio de 2017, a partir das 8h (horário de Brasília)
Local: Brasília (DF)
Preço: R$ 125
Inscrições:https://registration.wingsforlifeworldrun.com/br/pt_br/brasilia/single#/participant

Fonte: Estadão

Deixe uma resposta

468 ad