Ser Lesado

Curiosidade e Informação sobre Lesão Medular

Tetraplégicos conseguem mexer os braços com nova técnica

Posted by on jul 5, 2019

Treze pessoas tetraplégicas conseguiram voltar a usar os braços para realizar algumas ações, graças a uma técnica de transferência de nervos, que pode se somar às transferências de tendões já utilizadas com o mesmo objetivo – revela um estudo divulgado nesta sexta-feira (5).

“Estes resultados sugerem que as transferências de nervos podem levar às mesmas melhoras funcionais que as transferências de tendões tradicionais, com incisões menores e períodos mais curtos de imobilização após a cirurgia”, afirmam os autores desse estudo australiano, publicado na revista “The Lancet”.

Participaram deste estudo 16 jovens adultos, com uma média de idade de 27 anos. Menos de 18 meses antes, todos haviam sofrido uma lesão da medula espinhal (a maioria em acidente de trânsito, ou devido a uma lesão na prática de esporte), que os havia deixado paralíticos.

A operação consistiu em extrair nervos ligados a músculos ainda funcionais situados acima do nível da lesão e ligá-los aos nervos dos músculos paralisados abaixo da lesão, com o objetivo de “reanimar” estes últimos.

Os pesquisadores buscavam restaurar a extensão do cotovelo dos pacientes e sua capacidade para fazer um movimento de pinça com a mão para conseguir agarrar objetos.

Em dez dos pacientes, além da transferência de nervos, também se transferiram tendões.

Dois anos depois e após intensas atividades de reeducação, 13 pacientes eram capazes de estender seus braços, abrir e fechar as mãos e manipular objetos para comer, ou para escovar os dentes.

Do total de 59 transferências de nervos realizadas, quatro não deram resultado. Os pesquisadores destacam que são necessárias novas pesquisas com um número maior de pacientes, para determinar o tipo de pessoa, nas quais esta pode ser a melhor técnica.

Não foi possível continuar o acompanhamento de outros dois pacientes após a operação, e o último faleceu por motivos não relacionados com a cirurgia.

“A técnica da transferência de nervos é conhecida há tempos, mas nunca tinha sido empregada antes para lesões da medula espinhal”, disse à AFP Natasha van Zyl, cirurgiã em Melbourne e principal autora do estudo.

“A mensagem para todos os pacientes do mundo que sofrem uma lesão da medula espinhal e a todos os profissionais que tratam deles é: é possível restaurar as funções da mão e do cotovelo”, garantiu.

Fonte: Istoé

Deixe uma resposta

468 ad