Ser Lesado

Curiosidade e Informação sobre Lesão Medular

Nicola Dutto, o primeiro paraplégico a conduzir uma moto no Dakar

Posted by on jan 7, 2019

Nicola Dutto era um bem-sucedido piloto de rali. Campeão italiano, espanhol e europeu em enduros na primeira década dos anos 2000, o motociclista sofreu um grave acidente em março de 2010. A pancada a mais de 150 km/h, quando estava em quinta marcha, causou a fratura da coluna cervical e a perda dos movimentos das pernas.

Se você acha que a história dele termina aqui, é porque não conhece a determinação deste italiano. Nicola não apenas continuou competindo – e vencendo – em uma motocicleta adaptada, como recebeu, há alguns dias, a notícia mais esperada de sua carreira: em janeiro, ele viajará até o Peru para um desafio do tamanho de sua força de vontade: aos 48 anos, será o primeiro paraplégico a disputar o Dakar sobre duas rodas.

Longo caminho

A inspiração veio do norte-americano Doug Henry, piloto de motocross paraplégico da mesma idade. No entanto, adaptar-se à nova vida em uma cadeira de rodas não foi o único obstáculo. Dutto passou a correr com licença espanhola, já que a Federação Italiana de Motociclismo não habilita pilotos cadeirantes.

A primeira competição de Dutto após o acidente foi em uma moto do mesmo modelo que usava quando caiu dois anos antes, apenas com uma estrutura tubular para proteer suas pernas e comandos manuais. Ao terminar o Baja Aragón 2012 em 24º, ele começou ali mesmo a traçar metas mais ousadas para sua carreira.

Novo patamar

A adaptação teve a ajuda do espanhol Julián Villarrubia, ex-adversário nas trilhas, que foi fundamental para o desenvolvimento do competidor com suas novas limitações. Com Villarrubia, o objetivo de disputar o Dakar foi traçado. O trabalho sério nos treinamentos levou Dutto ao quarto no geral da Copa do Mundo de Baja em 2015, brigando pelo pódio em outras competições internacionais contra pilotos sem limitações.

Em 2016, de olho no rali mais difícil do planeta, o italiano intensificou a rotina de competições. Após ouvir os conselhos do espanhol Marc Coma, cinco vezes vencedor do Dakar e diretor esportivo do evento na época, aprimorou suas habilidades em navegação, e teve assim o “upgrade” que faltava para ingressar na elite da modalidade. O teste definitivo foi cumprido quando ele completou recentemente o exigente Rally do Marrocos.

Um sonho nas mãos

Há pouco mais de uma semana, Nicola recebeu uma carta da organização do Dakar, informando que sua inscrição na prova mais desafiadora do mundo no off-road havia sido aceita, “após terem examinado seu registro e suas motivações”. O piloto a publicou em sua conta no Instagram com um comentário simples e direto: “Ok, agora é oficial, estou apto a disputar o Dakar 2019”.

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

468 ad