A lesão raquimedular é caracterizada pela secção da medula e pode ser causada por trauma (acidente automobilístico, ferimento por projétil de arma de fogo) ou lesões ósseas metastáticas (nos casos de câncer). A causa mais frequente de lesão medular é o trauma, que atinge principalmente a população masculina, jovem e sem filhos. Com a melhora dos cuidados imediatos após o trauma e o suporte a longo e médio prazo, esses homens portadores das sequelas neurológicas passam a preocupar-se com a vida sexual e reprodutiva.

Quais são as sequelas relacionadas à sexualidade e à fertilidade após o trauma raquimedular?

Com a secção da medula existe a interrupção dos comandos do sistema nervoso central que trafegam pela medula e exercem sua função nos membros, órgãos e sistemas. Essa falha interrompe o controle do sistema nervoso central sobre as funções do organismo abaixo do local da lesão. São conhecidas as deficiências de movimentação dos membros inferiores e da perda da mobilidade, porém existem outras alterações menos conhecidas e relacionadas com as funções sexual e reprodutiva, são elas:

  1. Disfunção erétil
  2. Disfunção ejaculatória

É verdade que todos os homens com lesão raquimedular (paraplégico) têm impotência?

Dependendo da altura da lesão medular os homens podem ficar paraplégicos ou tetraplégicos. Nem todos esses homens terão disfunção erétil (impotência), pois em 1/3 consegue ter ereção por mecanismo reflexo desencadeado pelo estímulo táctil na região peniana percebida pela inervação periférica, porém despercebida pelo sistema nervoso central. Essa ereção permite a relação sexual, desde que com alguma adaptação por parte do casal.

Por que os homens com lesão raquimedular não ejaculam?

A lesão na medula interrompe os estímulos nervosos do sistema nervoso central (cérebro) que comandam os mecanismos da ejaculação podendo causar ausência da ejaculação (anejaculação) ou ejaculação retrógrada quando ela ocorre, mas vai para dentro da bexiga e não é expulsa pela uretra.

Como podemos dar a chance de um homem com lesão medular ser pai?

Casais cujos homens têm lesão medular podem engravidar com o auxílio da fertilização assistida (ICSI). Nestes casais as mulheres são submetidas ao estímulo ovariano, têm seus óvulos aspirados e os homens são submetidos à recuperação de espermatozoides. Nestes homens podemos recuperar espermatozoides promovendo a ejaculação ou aspirando espermatozoides dos testículos.

São maneiras de promover a ejaculação:

Vibroestimulação: usamos um vibrador específico aplicado na face ventral da glande por um tempo limitado e verificamos se ocorreu a ejaculação. Método mais simples, porém nem sempre eficaz.

Eletroejaculação: usamos um eletrodo transretal para estimular os nervos que causam a ejaculação. Método mais invasivo, com maiores riscos, que necessita de anestesia geral e que dá melhores resultados.

Biópsia testicular: caso os dois métodos anteriores falhem, vamos ao testículo buscar espermatozoides.

Devemos lembrar que estes pacientes não tiveram filhos, não têm informações sobre fertilidade e, eventualmente, poderiam já não produzir espermatozoides mesmo antes do trauma, motivo pelo qual não é garantida a recuperação de espermatozoides em todos eles.

Apesar de trabalhoso e envolver equipe multidisciplinar, a paternidade aos homens com trauma raquimedular é possível. Procure atendimento médico especializado e tire suas dúvidas.

Fonte: www.paih.com.br