Ser Lesado

Curiosidade e Informação sobre Lesão Medular

Ex-ciclista campeã olímpica que ficou paraplégica vai fazer carreira na política

Posted by on fev 26, 2019

Kristina e o gerente de ciclismo Joerg Werner no dia 18 de fevereiro, durante o Laureus World Sports Awards 2019 em Monte Carlo, Mônaco (Foto: Gisela Schober/Getty Images)

Em junho de 2018, a ciclista alemã Kristina Vogel, campeã mundial de ciclismo de pista e bicampeã olímpica, sofreu um grave acidente durante um treino que a deixara paraplégica.

“É uma situação péssima, mas o que posso fazer”, disse Kristina em sua primeira declaração após o acidente, três meses depois.

Naquela mesma ocasião, Kristina dava a entender que não largaria a bicicleta. “Agora meus braços também serão minhas pernas”, disse a alemã, que sempre foi reconhecida pelas pernas extremamente musculosas.

Nesta semana, no entanto, em matéria publicada pela CNN, Kristina revelou que pretende voltar às atividades na política. Sua popularidade em eventos de alto nível a tem colocado cada vez mais na condição de “estrela do esporte”, ao lado da tenista Angelique Kerber, por exemplo.

Sem dúvida, isso é favorável a quem almeja carreira política. Kristina, que era policial em tempo parcial, além de ciclista profissional, agora vai disputar as eleições em maio em sua cidade natal, Erfurt, como candidata pelo Partido Democrata Cristão, o mesmo da chanceler alemã Angela Merkel.

“Como atleta, quero introduzir coisas melhores para o esporte”, disse a ex-ciclista a CNN. “Como policial, foi bom tornar a cidade um pouco mais segura e, como usuária de cadeira de rodas, você vê as coisas de uma maneira diferente em questões como acessibilidade”, ela acrescentou.

Ela será uma representante importante de uma cidade com cerca de 210.000 habitantes, que tem um centro histórico medieval e uma famosa universidade que remonta ao ano de 1349.

Kristina admitiu que ainda sofre com sua situação, mas que tem conseguido levantar a cabeça para seguir em frente. “É claro que às vezes é muito difícil, tenho maus momentos, e choro por cinco minutos. Mas no final do dia ainda estou sorrindo, ainda sou a Kristina, e acho que tenho uma história importante ainda para contar.”

Fonte: Terra

Deixe uma resposta

468 ad