Ser Lesado

Curiosidade e Informação sobre Lesão Medular

Ele ficou paraplégico e com o esporte reaprendeu a amar seu corpo

Posted by on ago 18, 2017

Saudável e vaidoso, Ulisses Leal Freitas, 37, teve que se reinventar após um acidente de moto o deixar na cadeira de rodas.
Depois de conhecer o paraciclismo, ele voltou a se sentir bem com o seu corpo e, quando passou a competir,notou que seu maior adversário era seu peso e conseguiu eliminar 30 kg. Leia seu depoimento:

“Eu e meu irmão éramos policiais militares na cidade de Paulo Afonso, na Bahia, que ficava a 200 km da nossa casa, em Paripiranga Há nove anos, estávamos voltando do trabalho de moto, quando um bêbado, dirigindo na contramão, ‘pegou’ a gente. Meu irmão morreu seis dias depois e eu fiquei onze meses no hospital. Antes do acidente, jogava futebol e era professor de capoeira.

Tinha 100 quilos e 1,84 m de altura. Era bem vaidoso e sempre gostei de malhar. Depois do acidente, minha massa muscular se foi. Saí do hospital com 65 quilos em uma cadeira de rodas e estava irreconhecível. Deprimido, não aceitava a cadeira e só ficava trancado no quarto. Trocava o dia pela noite e só ficava na internet. Comecei a comer descontroladamente e a balança pulou de 65 para 115 quilos.

Já tenho tendência natural a engordar e, nessa época, eu comia de tudo: coisas gordurosas e calóricas, tanto fazia se era doce ou salgado. Meu corpo nem estava pedindo, mas eu queria comer.

Era aquela coisa de, em uma sentada, acabar com um bolo inteiro. Em 2010, conheci o basquete em cadeira de rodas, mas não levava muito a sério. Ainda estava acima do peso e tudo mais. Em 2012, eu conheci o paraciclismo e comecei a competir, mesmo chegando em último lugar.

Meu maior adversário era meu peso

A competição foi o estalo que me fez querer emagrecer. No paraciclismo, nós pedalamos com os braços, então, devido ao meu excesso de peso eu não conseguia evoluir, só ganhava lesões. Os meus adversários passavam por mim e riam. ‘Lá vai o Ulisses ficar em um último lugar’, falavam

Em agosto de 2013, decidi que seria campeão e foi aí que eu busquei um nutricionista para me ajudar. Eu já tinha conseguido emagrecer uns dez quilos sozinho. Nessa época, estava com 96, mas queria reeducar minha alimentação, pois  o objetivo era competir profissionalmente, levar o esporte mais a sério.

No fim de outubro, venci uma competição em Curitiba pela primeira vez. No ciclismo, se você engordar gramas já faz diferença O peso influencia demais. Minha genética é para engordar e meu maior adversário é meu peso.

Veja mais em https://estilo.uol.com.br

Deixe uma resposta

468 ad