Ser Lesado

Curiosidade e Informação sobre Lesão Medular

Corra, a chegada vem ai!

Posted by on mar 15, 2017

Na Wings For Life World Run a prova só acaba quando o corredor é ultrapassado pelo veículo da organização, o que pode significar de 5k a 88k. É uma perseguição do bem na qual 100% do valor da inscrição, que custa R$ 125, é doado às pesquisas para a cura da lesão medular espinhal, uma das principais causas de paralisia dos membros inferiores.

divulgação Red Bull

divulgação Red Bull

Esta será a quarta edição desta corrida mundial, que acontecerá simultaneamente em 7 de maio às 8h. Aqui no Brasil a cidade escolhida foi Brasília. Quem não puder ir mas quer ajudar na campanha pode correr virtualmente, por meio do aplicativo (disponível no Google Play e na AppStore), de onde estiver. O carro(catcher car) vai te ultrapassar virtualmente também. Até o ano passado foi arrecadado 6,6 milhões de euros, referentes a 130.732 inscrições de corredores de 193 nacionalidades diferentes.

divulgação Red Bull

divulgação Red Bull

O catcher car larga meia hora depois dos corredores e vence a prova o último a ser ultrapassado. Em 2016 foi o italiano Giorgio Calcaterra, ao percorrer 88.44km e ainda assegurar o recorde do evento. No Brasil, os melhores foram o britânico Thomas Payn (56.52 km), na categoria masculina, e Leticia Saltori (51.09 km), entre as mulheres. Ambos ficaram entre os 150 principais competidores do mundo.

divulgação Red Bull

divulgação Red Bull

Ah, preste atenção no rosto do motorista, já participaram Max Verstappen, Carlos Sainz Jr e Cacá Bueno. Na primeira hora, o carro vai a 16km/h; na segunda aumenta para 17km/h, na terceira para 20km/h e na quarta o bicho pega mesmo, acelera para 35km/h. Como há alças de acesso no percurso é Possível checar se o carro está chegando. Aliás, segundo os participantes, saber que o carro está a 1km de distancia provoca uma pressão psicológica imediata.

divulgação Red Bull

divulgação Red Bull

Rodrigo Roehniss participou da edição de 2014 e do ano passado. Usou a corrida como parte do treino para a Maratona de Porto Alegre. “Planejamos correr 34km, consegui fazer 33.200m, foi bem bacana. Quando o carro estava a 1km de mim um biker me avisou, depois me avisaram novamente faltando 500m, isso frita a sua cabeça, é muito bacana mesmo”, lembra.

Para ajudar os estreantes a terem uma noção de quantos km podem tentar completar, o Rodrigo fez esta tabela abaixo:

Pace                                         Distancia

10                                                5k

7                                                10k

5:48                                                16k

5:20                                                21k

4:28                                                42k (3 horas)

Rodrigo lembra que depois da Wings voo pra São Paulo e foi almoçar. “E o italiano que venceu ainda estava correndo!”. Ele destaca também que o vencedor no Brasil no ano passado estava treinando para o Iron Man. “É legal conversar com seu treinador e ver a melhor forma de como utilizar a Wings como treino”, observa.

Alem dos vencedores individuais haverá uma premiação simbólica dos patrocinadores para as melhores equipes – melhor media de km e mais km rodados.

O paratleta Fernando Fernandes é embaixador da corrida e avisa geral que não é preciso ter cadeira de rodas especial de corrida, nesta prova é para ir com a normal. “Só de participar está ótimo! Esta prova não em pódio e todo mundo sai ganhando”, incentiva ele que estará lá dia 7 de maio.

O triatleta Igor Amoreli participou em 2015, como treino para o IronMan de Floripa e adorou. “É muito bacana apoiar esta causa, fora que acabei correndo junto com o Vanderlei Cordeiro de Lima que encontrei por acaso, foi muito legal mesmo poder correr com um ídolo!”, destaca.

Já a triatleta Ana Lídia Borba participou da primeira edição em Floripa e acabou vencendo. “Era para eu correr 30k, mas vi que o 34k era perto de casa e fui embora, como não tinha ninguém atrás de mim fui correndo mais até o 37k. Fui muito legal, a vibe é a melhor do mundo. Como premiação pude escolher qualquer lugar do mundo para a Wings do ano seguinte, fui para a Croácia”, conta.

A Wings For Life é um ONG que existe há 11 anos e já viabilizou 142 projetos, alem da pesquisa para a cura da lesão de medula espinhal. A corrida foi desenvolvida como uma ferramenta para atrair a atenção para a prova. Patrocinam a corrida a Redbull e a Puma.

Atualmente cerca de 250 mil pessoas sofreram lesão de medula espinhal, na maioria dos casos são vitimas de acidentes de trânsito. Em 53% por casos as vitimas têm paralisia da cintura para baixo e em 47%, abaixo do pescoço.

Serviço
Wings For Life World Run
Data/Horário: 7 de maio de 2017, a partir das 8h (horário de Brasília)
Local: Brasília (DF)
Preço promocional: R$ 125
Inscrições:https://registration.wingsforlifeworldrun.com/br/pt_br/brasilia/single#/participant

Fonte: Estadão

Deixe uma resposta

468 ad