Ser Lesado

Curiosidade e Informação sobre Lesão Medular

Como o universo maker adaptou o caiaque de Fernando Fernandes

Posted by on abr 20, 2019

Que o Fernando Fernandes é um atleta que supera seus limites, a gente já sabe. O grave acidente que tirou o movimento de suas pernas o levou a tornar-se um grandes para-atletas do país, com diversos títulos na canoagem, incluindo quatro mundiais. E para suas conquistas, Fernando teve a ajuda da tecnologia e de profissionais makers que abusam da criatividade para adaptar instrumentos e lugares para a prática de diversos esportes, sobretudo na água.Siga a Red Bull nas redes sociais Instagram | Twitter | FacebookPara remar em alto mar, na canoagem oceânica, Fernando teve que adaptar seu caiaque para que o assento ficasse mais confortável e estável. O grande sonho? Participar da competição de canoagem oceânica Molokai – Oahu, no canal de Kaiui, no Havaí.E foi preciso o trabalho de muita gente. Um grupo de engenheiros criou um sistema que dispensa o uso dos pedais dos caiaques para que o leme seja movimentado com acionamento manual, por meio de um transmissor acoplado no remo. A partir disso, ao longo de dois anos e meio, com a ajuda do engenheiroWalter Lobue, Fernando foi aperfeiçoando seu instrumento de navegação e o controle do leme foi transformado para uso via wi-fi, com um equipamento que vai na boca e permite dar a direção da embarcação.

O dentista Rafael Gomide trabalhou no aparelho intrabucal que daria os comandos por sinal wi-fi para o barco: a ideia foi de scanear o modelo da boca de Fernando e imprimir na impressora 3D um aparelho mais confortável. Junto, o maker Marcos Beto criou uma caixa a ser acoplada no barco para puxar os cabos do leme. Ele é fundador do projeto MeViro, uma plataforma que une soluções DIY (sigla de “do it yourself” – “faça você mesmo”, em inglês) para pessoas com deficiência e auxiliou na modelagem da nova prótese do atleta.Depois de alguns testes em competições no Brasil, Fernando e Marcos foram pro Havaí com suas equipes para o teste final de seu caiaque adaptado. Essa saga completa você confere no documentário abaixo (de arrepiar!):

Construir para incluir

Fernando não é o único beneficiado com o projeto MeViro. Criada em 2016, a plataforma tem a missão de conectar pessoas que gostam de construir soluções com suas próprias mãos e pessoas com deficiência, em atividades mão-na-massa, onde, juntos, irão criar projetos de inclusão e acessibilidade.Todos os projetos ficam disponíveis de forma aberta e gratuita na plataforma, que atualmente conta com 82 iniciativas cadastradas.

Com o MeViro, Marcos foi um dos selecionados para a turma de 2017 da Red Bull Amaphiko, programa que impulsiona iniciativas dee pessoas que estão tentando transformar seus cantos do mundo.Para conhecer mais projetos como o leme adaptado para caiaque, Siga a página da Red Bull Amaphiko e acompanhe histórias de iniciativas que estão transformando realidades.

MEVIRO
MEVIRO© IGNACIO ARONOVICH/RED BULL CONTENT POOL


Fonte: Red Bull

Deixe uma resposta

468 ad