Ser Lesado

Curiosidade e Informação sobre Lesão Medular

Atores promovem espetáculo para ajudar amigo tetraplégico

Posted by on ago 29, 2017

O trabalho, a rotina, a paixão pelo teatro, tudo interrompido de repente. Manuel José da Trindade Neto tem 33 anos, seis deles sem a sensação de andar por conta própria, de poder atuar no palco ou de cumprir tarefas cotidianas como escovar os dentes por causa de um acidente de moto em Ribeirão Preto (SP).

Mas a batalha pessoal do ex-ator, marcada por recuperações gradativas e pontuais, em meio a dúvidas e dificuldades financeiras, recentemente ganhou um ato de esperança quando amigos atores se uniram para um espetáculo solidário.

Foi assim que o Teatro Popular de Comédia (TPC), companhia fundada há 35 anos em Ribeirão, decidiu encenar “O Auto da Compadecida”, de Ariano Suassuna, e reverter toda a renda dos ingressos para um tratamento particular que pode acelerar sua recuperação. A peça está em cartaz nesta quarta-feira (30) no Theatro Pedro II e tem 14 pessoas no elenco.

“Nunca imaginei que tanta gente fosse se desdobrar para me ajudar. Sou infinitamente grato a todo esse pessoal. É no mínimo sublime perceber que todo carinho da gente por todo mundo é mais do que recíproco”, afirma Neto, que foi aluno da escola de teatro do TPC por quatro anos antes do acidente que lhe tirou os movimentos.

Os atores Edir Vila Real, Marlom Amaro e Noir Junior em 'O Auto da Compadecida' (Foto: Rafael Corrêa)Os atores Edir Vila Real, Marlom Amaro e Noir Junior em 'O Auto da Compadecida' (Foto: Rafael Corrêa)

Os atores Edir Vila Real, Marlom Amaro e Noir Junior em ‘O Auto da Compadecida’ (Foto: Rafael Corrêa)

O acidente

Neto se lembra com detalhes daqueles momentos que mudaram sua vida em 11 de agosto 2011. Na época, ele trabalhava como controlador em uma empresa de telefonia e costumava usar moto para se locomover.

Em uma ultrapassagem pela esquerda, na região da Avenida Presidente Vargas, zona sul da cidade, ele foi fechado por um carro e, de imediato, foi arremessado da moto. Na queda, bateu em outro automóvel, o que resultou em uma grave lesão na medula que tirou os movimentos de seu corpo.

“O acidente foi uma coisa até meio besta, fatalidade da fatalidade, foi num dia que eu não ia sair de moto, tudo que não era para acontecer”, diz.

Depois de meses de internação, de um tratamento para que conseguisse voltar a respirar sem dificuldades e de muitas sessões de fisioterapia, Neto conseguiu recuperar o movimento do braço direito e a estabilidade do tronco, mas precisa intensificar o tratamento particular para ir além. Um custo que ele, que tenta embalar um negócio de comércio digital, e sua família não têm condições de bancar. São R$ 1,5 mil por mês para quatro sessões de fisioterapia por semana.

“É uma coisa que vai muito lentamente, progressivamente, por isso que a gente está fazendo isso, pra conseguir a quantidade de fisio por semana e ter essas melhoras pequenas e frequentes. O tronco eu comecei a ganhar estabilidade] em 2013, e pra chegar do jeito que está hoje foi até 2016.”

Grupo TPC apresenta 'O Auto da Compadecida' no Theatro Pedro II, em Ribeirão Preto (Foto: Rafael Corrêa)Grupo TPC apresenta 'O Auto da Compadecida' no Theatro Pedro II, em Ribeirão Preto (Foto: Rafael Corrêa)

Grupo TPC apresenta ‘O Auto da Compadecida’ no Theatro Pedro II, em Ribeirão Preto (Foto: Rafael Corrêa)

Amizade

A luta e a determinação de Neto foram acompanhadas pelos amigos do teatro, com quem ele teve a chance de conviver por quatro anos. “Cara muito dedicado, e o que mais motivou é que é uma pessoa que não mudou o jeito de ser, continuou um cara super animado, de bem com a vida”, afirma Noir Júnior, diretor do TPC e um dos atores da peça que será encenada nesta quarta-feira.

O contato de Neto com o teatro foi breve, mas parecia promissor. Logo depois que começou a frequentar as aulas de artes cênicas, defendeu um papel de protagonista na peça “O Noviço”, de Martins Pena. “A gente ficou em circuito com essa peça por um bom tempo. Toda experiência com o teatro e o pessoal foi muito boa. Foi um negócio mágico”, conta Neto.

Da paixão em comum pelo teatro restou a amizade e a vontade de ajudar bem na hora que Neto mais precisava. “O caso dele se estabilizou, ele veio desanimando com esse tempo, e aí a gente resolveu se unir pra poder levantar uma grana para ele poder fazer um tratamento adequado”, diz Junior.

Os amigos do TPC resolveram contribuir ao seu modo: com a locação gratuita cedida pelo teatro, escolheram uma das peças mais aclamadas do repertório do grupo, “O Auto da Compadecida”, para sensibilizar e atrair o público para a causa.

“Dependendo da quantidade de pessoas que forem, a gente consegue manter o tratamento por pelo menos um ano”, afirma Junior, que atua como Severino no espetáculo dirigido por seu pai, o fundador do TPC, Noir Evangelista.

Mais do que uma ajuda financeira, a iniciativa do grupo representa uma esperança de reaproximação de Neto com as coisas que costumava fazer, o que inclui o teatro. “Minha grande vontade desde o acidente é voltar a ser produtivo e voltar a levar a vida o mais normal quanto possível.”

Serviço – ‘O Auto da Compadecida’

  • Quando: quarta-feira (30), às 20h30
  • Onde: Theatro Pedro II (Rua Álvares Cabral, 370, Centro – Ribeirão Preto)
  • Quanto: R$ 25 (meia entrada) e R$ 50 (inteira)
  • Ponto de vendas: Rua Marcondes Salgado, 731; ou Rua Álvares Cabral, 370
  • Classificação: 12 anos
  • Informações: (16) 3964-5549

Fonte: G1

Deixe uma resposta